Caminhada de Arraial d’Ajuda até Trancoso – Guia completo

As praias de Trancoso vistas do alto

As praias de Trancoso vistas do alto

Está planejando uma viagem para Porto Seguro? Esse guia vai revolucionar o seu roteiro e fazer você se apaixonar ainda mais pela Bahia. Preparamos um relato detalhado de um caminhada incrível e que com certeza vai fazer diferença no roteiro da sua viagem: uma longa e bela caminhada entre Arraial d’Ajuda e Trancoso, num trajeto de 12 km percorridos na areia à beira mar, sob o sol a pino, atravessando rios e igarapés, com direito a uma pequena “escalada” sob pedras. Uma oportunidade única de conhecer em apenas um dia praticamente todas as praias de Arraial d’Ajuda e mais algumas de Trancoso, paisagens paradisíacas e completamente desertas.

Inicio da caminhada em Arraial d'Ajuda: até Trancoso são 12 km.

De Arraial d’Ajuda até Trancoso são 12 km.

Com planejamento em mãos, saímos ansiosos do Rio de Janeiro com muita vontade de explorar o novo, descobrir novas possibilidades e fugir do óbvio. Queríamos explorar Porto Seguro de uma maneira diferente. E assim foi. Até o dia da caminhada acompanhamos as previsões do tempo, condições da maré e esse momento acabou se tornando o mais esperado da viagem e no final de tudo se tornou uma das melhores experiências que tivemos nessa passagem à Porto Seguro.

A caminhada de Arraial d’Ajuda até Trancoso tem duração aproximada de 3 a 4 horas, mas o tempo de caminhada vai depender muito do seu ritmo, nós fizemos o percurso em 4 horas e meia,  por que realizamos muitas paradas para banhos e fotos. 

O começo do percurso em Arraial d'Ajuda é bem movimentado

Ainda na Praia de Pitinga, em Arraial d’Ajuda é bem movimentado

A sequência das oito praias entre Arraial d’Ajuda e Trancoso são: praias do Mucugê, Parracho, Pitanga, Lagoa Azul, Taípe, Rio da Barra,  Nativos e Coqueiros. Ao longo do percurso, a infraestrutura do entorno vai se perdendo e a paisagem fica totalmente deserta,  mas no final as barracas de praia voltam surgir.  Durante o trajeto além das praias, você encontra  rios,  lagoas e as imponentes falésias.

Planejando sua caminhada de Arraial d’Ajuda à Trancoso

  • Melhor época para fazer a caminhada: Acreditamos que a melhor época  seja mesmo no verão, pois é quando o tempo está mais firme, mas nada disso impede que você faça sua caminhada em qualquer época do ano, pois na Bahia faz sol o ano todo.
  • Não deixe de consultar a tábua das marés:  É importante consultar e verificar o horário ideal para iniciar a caminhada. Para realizar essa consulta, você deve utilizar a tábua das marés da Marinha do Brasil. Para visualizar a tábua, acesse o site da Marinha. No site, você deverá selecionar Porto de Ilhéus, o ano e o mês da sua viagem, assim o site listará dias, horários e fases da lua. Os melhores dias são os de maré baixa (com a pontuação abaixo de 1.0) e de lua cheia.  No dia da nossa caminhada, a maré mais baixa foi 1h da tarde e além disso era noite de lua cheia. Com essas informações,  fizemos o cálculo do horário que precisávamos chegar nas áreas de maior dificuldade como escalada nas pedras e a travessia dos rios.
  • Tudo que você precisa levar para caminhada: Para caminhada, leve água e um lanche básico que seja suficiente, já que não existe muita infraestrutura no trajeto. Levamos apenas 1 garrafa com 1,5 litro de água, frutas e alguns biscoitos. Mas não leve muita coisa! É ruim ter que ficar carregando peso. Use roupas leves. Utilizamos camiseta e bermuda, mas durante a caminhada, você vai se despindo, pois existem várias paradas para banho no rio e no mar.
  • Verifique a previsão do tempo: Não vai querer caminhar debaixo de chuva, né? 

 Arraial d’Ajuda à Trancoso: chegando ao ponto de partida

Arraial d’Ajuda é um distrito de Porto Seguro (distância de 4 km) e Trancoso (distância de 12 km)  também. Para quem está em Porto Seguro, a caminhada deve começar em Arraial. Nós estávamos hospedados em Porto Seguro na Praia de Taperapuãn e para chegar em Arraial d’Ajuda tivemos que ir para o centro de Porto  Seguro. Chegando ao centro, fizemos a travessia do Rio Buranhém, com o auxílio do serviço de balsas.

fique-ligadoA travessia é bem eficiente, realizada em 10 minutos, funciona 24 horas por dia e custa R$ 3,50 reais. Na saída das balsas algumas vans já te deixam na Praia do Mucugê, local onde iniciou nossa caminhada. A van até a Praia do Mucugê custou R$ 2,00.

Se por acaso, você descer no “centrinho” de Arraial d’Ajuda, não se desespere. Chegando lá,  rapidamente você encontra a Rua Mucugê. O problema é que para chegar no início da caminhada, você precisa ir até o final da rua que é uma descida, então prepare-se! Para evitar esse “contra tempo” ao embarcar na saída das balsas, peça para ficar na entrada da praia do Mucugê.

Além das vans, existe  a opção de ir de ônibus. Se você optar pelo ônibus, terá que fazer a caminhada até a Praia do Mucugê, pois o ponto final fica no “centrinho” de Arraial d’Ajuda. Somente as vans fazem o trajeto até a entrada da praia. Preço da van: R$ 2,00 e Preço do ônibus:R$ 2,50

Entrada da Praia do Mucugê

Entrada da Praia do Mucugê

Neste dia optamos pela van, mas experimentamos também o trajeto de ônibus.

 Se optar pela hospedagem em Arraial d’Ajuda é importante que seu hotel esteja próximo da Rua do Mucugê,  pois muitos hotéis ficam longe dessa praia.

É no final dessa rua que você encontra a praia e o início da caminhada.

Finalmente estamos compartilhando essa aventura aqui no blog, pois fizemos a viagem no fim de 2014.  Preparados? Então, vamos lá! 

1. Praia do Mucugê

Chegamos na Praia do Mucugê por volta das 10h da manhã, neste dia a maré mais baixa seria por volta de 13h00. Neste trecho, a praia ainda é muito movimentada com várias barracas e ambulantes.

2. Praia do Parracho

Essa praia é uma continuação da anterior, após 20 minutos  de caminhada, chegamos à Praia do Parracho. Não dá muito para entender quando se incia a praia, pois ela é muito parecida com a outra. A Praia do Parracho é famosa pelos shows e por seus carnavais fora de época, bem de frente ao mar fica a badalada casa “Uki Parracho. Até o final da Praia do Parracho, você irá caminhar por mais 30 minutos.

O baladado Uki Parracho: festas durante todo ano.

O baladado Uki Parracho: festas durante todo ano.

 3. Praia de Pitinga

Ao fundo da Praia do Parracho, você avistará uma curva. Ao passar desse trecho significa que você está na Praia de Pitinga. Com maré alta, você pode encontrar dificuldade para passar dessa curva, por isso recomendamos que você faça a caminhada na maré baixa – isso é muito importante. Nessa curva existe um trecho com muitas pedras e arrecifes. Ao chegar na Praia de Pitinga, você verá um super visual ao fundo de falésias que emolduram o local, que é uma das mais belas praias de Arraial d’Ajuda.

Praia de Pitinga: bares, restaurantes, ambulantes e muito movimento

Praia de Pitinga: bares, restaurantes, ambulantes e muito movimento

O mar é de cor azul mais intenso, água quentinha e calma. Devido a proximidade com Parracho, a Praia de Pitinga é bem movimentada, possui uma boa infraestrutura com bares e ambulantes. No fundo dessa praia, pequenos “laguinhos” de água doce que fazem total diferença. Pitinga é um nome indígena, que significa na língua nativa “Vermelho”, assim como as cores das falésias que beiram o mar da praia. Fizemos paradas para fotos e para banho, é claro. Até o fim da Praia de Pitinga já havíamos completado 1 hora de caminhada.

Os laguinhos da Praia de Pitinga

Os laguinhos da Praia de Pitinga

A linda Praia de Pitinga

A linda Praia de Pitinga

4. Praia da Lagoa Azul

Caminhando apreciando o visual incrível das falésias, completamos 1h30 de caminhada e finalmente chegamos a Praia da Lagoa Azul, primeiro trecho completamente deserto. Na Praia da Lagoa Azul não existe muita coisa a sua volta, apenas 1 barraca. A famosa Lagoa Azul que era formada por uma queda d’água, oriunda do alto de uma falésia não existe mais. De acordo com esse relato, alguém comprou o terreno no alto da falésia e fechou o rio que formava a queda d’água. Junto das águas vindas do alto, chegava também a argila das falésias que se acumulam no fundo da lago, dando origem a outra atração da antiga Praia da Lagoa Azul, o banho de argila “medicinal” que era muito famoso na época.

A Lagoa já não existe mais

A Lagoa já não existe mais

A praia em si é muito boa, mas a “lagoa” (que fica em frente à praia) não existe mais. Agora a “lagoa” só aparece quando chove. Para quem encontrar o local totalmente seco, como nós encontramos, pode ser uma enorme decepção. Mas para quem encontrar a “lagoa” cheia após muita chuva, pode ser um belo momento.  Mas nada deve lembrar os tempos de ouro do lugar. Além disso, no alto das falésias existe um mirante. Como o local estava bastante deserto e estávamos correndo para fazer a travessia do rio na maré baixa, optamos não subir o mirante.

A lagoa só fica "cheia" após uma longa chuva.

A lagoa só fica “cheia” após uma longa chuva.

 5. Praia do Taípe

Nesse trecho são as falésias que dominam e emolduram a paisagem. Completamente deserta, a Praia do Taípe é um paraíso muito tranquilo onde você já começa a se desligar de tudo, pois a caminhada (completamos 2h00 de caminhada) é longa. Ao chegar no Taípe, você certamente ficará impactado com a beleza das falésias que chegam a ter 45 metros de altura.

Falésias com até 45 metros de altura

Falésias com até 45 metros de altura

Por ser bastante extensa (é a maior de toda caminhada), a Praia do Taípe é usada também para pouso de ultraleves. Você certamente verá alguns no céu, durante esse trecho. É importante que fique atento, pois presenciamos um momento de muita tensão: Ao tentar pousar o ultraleve, havia uma criança próximo ao local. Nesse hora ficamos super apreensivos, pois achamos que o ultraleve iria “pegar” alguém. Felizmente o ultraleve antecipou seu pouso e ninguém se machucou, mas o ultraleve ficou com a roda quebrada e o condutor ficou super irritado. É importante ficar bem atento.

Um acidente que quase estragou a viagem

Um acidente que quase estragou a viagem

Depois de fortes emoções uma parada para banho e um encantador encontro de rio com o mar. No lindo cenário, a maré já estava subindo e o rio invadia o mar. Como o rio não é fundo, é ótimo para aproveitar. Ficamos ali por alguns minutos, pois já estávamos bem cansados.

Encontro do Rio Taípe com o mar

Encontro do Rio Taípe com o mar

A água cristalina, quentinha e o mar ao fundo completam o cenário espetacular. Ficaríamos lá até o final do dia, mas após alguns minutos de banho, levantamos e seguimos em frente. No final desse techo, já havíamos completado 3h00 de caminhada.

Rio Taípe: Um dos melhores trechos dessa caminhada

Rio Taípe: Um dos melhores trechos dessa caminhada

Banho de rio de frente ao mar: Tudo de bom

Banho de rio de frente ao mar: Tudo de bom

Para chegar a Praia do Rio da Barra  precisaríamos escalar algumas pedras, considerarmos esse trecho o mais difícil da caminhads. Com muito cuidado e um pouco de medo, felizmente conseguimos atravessar o trecho com sucesso. 

Travessia para Praia do Rio da Barra: trecho de maior dificuldade

Travessia para Praia do Rio da Barra: trecho de maior dificuldade

6. Praia do Rio da Barra

Com o ritmo menos intenso, seguimos em frente. Estávamos exaustos, mas felizes pois estávamos perto do fim da caminhada. O cenário incrível, completamente primitivo e deserto nos dava um pouco de medo, mas ao mesmo tempo um sentimento de liberdade intenso.  Fizemos uma parada para descanso, onde aproveitamos para tirar fotos e tomar banho de mar.

Já na Praia do Rio da Barra: Felizes após a travessia

Já na Praia do Rio da Barra: Felizes após a travessia

Um pouco mais à frente, outra encontro de rio e mar. Como a maré estava um pouco cheia, tivemos um pouco de dificuldade para fazer esse travessia. Diferente como no Rio Taípe, a água do Rio da Barra estava mais gelada e o rio estava mais cheio. Mesmo assim, fizemos uma parada para um banho rápido. Já havíamos completado 3h30 de caminhada.

Caminhada Arraial d'Ajuda - Trancoso

Caminhada Arraial d’Ajuda – Trancoso

Parada para fotos: Caminhada Arraial d'Ajuda - Trancoso

Parada para fotos: Caminhada Arraial d’Ajuda – Trancoso

Última travessia de rio

Última travessia de rio

Os pés já não obedeciam mais...

Os pés já não obedeciam mais…

Aquele momento que você olha para trás e pensa: Caramba, andei tudo isso?

Aquele momento que você olha para trás e pensa: Caramba, andei tudo isso?

Completando a caminhada: super cansados, mas super felizes de ter conseguido

Completando a caminhada: super cansados, mas super felizes de ter conseguido

 7. Praia dos Nativos

É um trecho com vários clubes próximos a faixa de areia. Uma característica forte na praia é a presença de muitos coqueiros e uma areia bastante fofa. Estávamos completamente exaustos e o ritmo era bem lento.

Praia dos Nativos

Praia dos Nativos

 

Aqui o cenário praiano começa a deixar de ser deserto, pois muita gente que está em Trancoso vem caminhando até ela. Já havíamos completado 4h00 de caminhada.

Praia dos Nativos

Praia dos Nativos

Praia dos Nativos

Praia dos Nativos

8. Praia de Coqueiros

Chegamos nesse trecho procurando um acesso de saída para o Quadrado, pois já estávamos bem cansados e a hora já avançava. Antes de terminar, a última travessia em um rio.

Praia dos Coqueiros

Praia dos Coqueiros

 

Porto Seguro

Praia dos  Coqueiros: fim da caminhada

Vista de cima da última travessia de rios

Vista de cima da última travessia de rios

Ao lado da barraca de praia “Casa do Timbó”, encontramos um ponte que terminava numa praça. Ali encontramos o ônibus que nos deixaria nas balsas em Arraial d’ Ajuda. Terminamos a caminhada com 4h30 de percurso.  Mas você pode fazer esse percurso em 3 horas, pois fizemos muitas paradas para descanso, banho e fotos.

Fim da caminhada e inicio da volta para Porto Seguro

Fim da caminhada e inicio da volta para Porto Seguro

Para chegar no estacionamento, você passa por essa ponte.

Para chegar no estacionamento, você passa por essa ponte.

O caminho entre Trancoso e Arraial d’Ajuda foi longo. Capotamos no ônibus e só chegamos em Porto Seguro à noite. 

Foi nota 10. Apesar do cansaço, faríamos tudo de novo. Nós sentimos renovados, pois tivemos oportunidade de ter um contato único com a natureza. Essa foi primeira vez que fizemos uma caminhada tão longa e valeu muito a pena não só pelo lindo cenário, mas pela paz que você sente ao longo do trajeto. É uma oportunidade de você se desligar, pensar na vida, sentir a natureza, apreciando toda beleza do mar da Bahia.

Se vai fazer uma viagem à Porto Seguro não deixe de incluir essa caminhada no seu roteiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Kelly & Wallace

Somos um casal apaixonado por viagens, gastronomia e fotografia. Somos "aprendizes" de mochileiros e juntos estamos aprendendo a desbravar o mundo.

Você vai adorar também...