O que fazer no Rio de Janeiro: Um passeio pela Ilha Fiscal

A  Ilha Fiscal é uma velha conhecida do carioca e principalmente daqueles que fazem diariamente o trajeto Rio x Niterói através das barcas. O castelinho como muitos chamam está sempre ali,  no meio de Baía de Guanabara com sua elegância.

A bela Ilha Fiscal

A bela Ilha Fiscal

Há dois fatos sobre a Ilha Fiscal que poucas pessoas sabem; primeiro que é possível visitar a Ilha e segundo que ela foi criada para ser um local de trabalho.

O último baile do Império aconteceu na Ilha Fiscal, seis dias antes ser proclamada a República. O baile tinha a intenção de estreitar os laços com o Chile, por isso foi realizado em homenagem à tripulação do couraçado chileno Almirante Cochrane e teve cerca de dois mil convidados.

A Ilha Fiscal foi criada para ser um posto aduaneiro, devido a sua e localização estratégica e por ter uma vista privilegiada era considerada um ‘delicado estojo, digno de uma brilhante jóia’.

Ilha Fiscal: As pedras vieram do Morro do Pasmado em Botafogo

Ilha Fiscal: As pedras vieram do Morro do Pasmado em Botafogo

Imagino que na época devia ser uma maravilha trabalhar na ilha. Tente imaginar uma Baía de Guanabara limpa, sem poluição. Um Rio de Janeiro cercado de verde, sem todos esses prédios que ocupam a cidade atualmente. Era ou não um privilégio trabalhar lá?

Passeio para Ilha Fiscal saindo da Baía de Guanabara

O passeio para Ilha Fiscal começa no Espaço Cultural da Marinha, de onde embarcamos na escuna Nogueira da Gama até a Ilha. O trajeto têm duração de dez minutos. Nos dias de chuva o trajeto é feito de van.

Ilha Fiscal: Ao fundo o Centro do Rio de Janeiro.

Ilha Fiscal: Ao fundo o Centro do Rio de Janeiro.

Chegando na Ilha Fiscal, o pessoal é dividido em dois grupos, os com crianças e os sem. Após a divisão começa a visita guiada.

A nossa guia Rosa Maria foi muito bacana e animada. Ali mesmo na entrada ela começou as explicações a respeito da criação da Ilha Fiscal e foi logo falando que muitas pessoas vão fazer o passeio achando que ali tinha sido um palácio. Para realizar o famoso baile, tudo que tinha na ilha foi retirado e colocado nos porões. Então, trouxeram todo um mobiliário requintado para ficar a altura da ocasião. O baile aconteceu e no outro dia todo luxoso mobiliário foi levado de volta.

Entrada da Ilha Fiscal

Entrada da Ilha Fiscal

Depois somos levados para uma sala, onde assistimos um videozinho de uns 10 minutos de uma “baronesa” contando os detalhes sobre o baile. Além do vídeo, nesta sala vemos uma réplica do quadro que foi feito na época para ilustrar o último baile do Império, o convite do baile e alguns objetos usados na época. Também vemos uma outra sala onde está montada uma mesa completa de como teria sido as mesas do baile, mas não é autorizada a entrada, só podemos ver através da porta de vidro.

Vídeo com a "Baronesa" explicando como foi o baile.

Vídeo com a “Baronesa” explicando como foi o baile.

Subimos 38 degraus e chegamos a uma sala para ver mais coisas da época como vitrais e pinturas nas paredes que foram descobertas após a restauração. A partir desta sala acessamos o terraço e ficamos por lá alguns minutos tirando fotografias .

Então, descemos e temos mais um pouco de explicação sobre a construção, as pedras utilizadas, os desenhos; E podemos ver o único brasão que restou da época do império, já que todos os outros foram destruídos durante a instituição da República. Por último, fomos visitar uma exposição sobre a Marinha.

Ilha Fiscal: um passeio cheio de surpresas

Ilha Fiscal: um passeio cheio de surpresas

Fizemos essa visita em um sábado e teve duração de 2 horas. Nós realmente adoramos o passeio, foi muito enriquecedor e é uma ótima opção de lazer em família para o final de semana.

Fumais-inforncionamento: De quinta à domingo. Horário dos passeios: 12:30, 14hs e 15:30. Ingresso: R$ 30,00. A bilheteria funciona entre 11hs e 15:10.                                                                                                               Endereço: Boulevard Olímpico, Praça XV, Rio de Janeiro, RJ - próximo à Pira Olímpica.                                       Obs: O ingresso da Ilha Fiscal dá direito a visitar também o Navio Bauru e o Submarino Riachuelo. Clique aqui para acessar o site da Marinha.

BÔNUS: Espaço Cultural da Marinha

O Espaço Cultural da Marinha funciona como uma espécie de “museu” com o intuito de preservar e divulgar o patrimônio histórico e cultural da Marinha. Lá é possível conhecer o Helicóptero-Museu Sea King, Navio-Museu Bauru, Submarino-Museu Riachuelo.

Este é um local muito visitado pelas escolas do Rio e as crianças ficam fascinadas. Se você têm filhos este é realmente um passeio que agrada aos pequenos.

Helicóptero-Museu Sea King

O helicóptero antissubmarino SH3 Sea King (Rei do Mar) funciona como museu desde 2005; era empregado para identificar ameaças submarinas. Este tipo de helicóptero é utilizado por marinhas do mundo inteiro por ser considerado ideal para operações de salvamento.

Helicóptero-Museu Sea King

Helicóptero-Museu Sea King

É possível entrar no helicóptero, mas dentro dele não há objetos para tocar, é só mesmo para conhecer. Em dias de calor você só dá uma espiadinha e sai, por que é bem quente lá dentro.

Navio-Museu Bauru

Construído em Nova Jersey (EUA), começou suas atividade em 1943 e em 1944 foi transferido para a Marinha do Brasil, recebendo o nome de Bauru em homenagem à cidade paulista de Bauru. Durante a Segunda Guerra Mundial, o Contratorpedeiro-Escolta Bauru participou de comboios e efetuou missões de apoio no transporte de tropas e patrulhamento em zonas de guerra. Depois de 40 anos de atividade, o Bauru foi aberto à visitação pública no ano de 1982 como navio-museu.

Navio Bauru

Navio Bauru

As crianças ficam eufóricas ao conhecer o navio por dentro e poder ver de perto cada detalhe, como as máquinas, camas, cozinha, etc…

Submarino-Museu Riachuelo

Construído na Inglaterra, teve suas atividades iniciadas em 1975 e em 1977 passou a pertencer a Marinha Brasileira. O submarino trouxe um grande avanço no domínio de técnicas para os procedimentos operativos, demarcando uma nova etapa na história da Força de Submarinos. Em 1997 passou a ser um Submarino-Museu após 20 anos de operação.

Por dentro do Submarino-Museu Riachuelo

Por dentro do Submarino-Museu Riachuelo

Algumas pessoas ficavam receosas de entrar no submarino pensando que ele balançava, mas não, ele fica bem paradinho lá. Mas, a verdade é que é bem claustrofóbico entrar nele, tudo é muito apertado e logo você sente vontade de sair; apesar de ser interessante saber como ele é por dentro.

mais-inforFuncionamento: De terça à Domingo. Horário: De 12h às 17hs.  O valor do ingresso é R$ 10,00 e da direito a visitar os três museus.                      Endereço: Av. Alfred Agache s/n, Centro - Boulevard Olímpico, próximo à Praça XV.                          Clique aqui para acessar o site da Marinha.

Todos os passeios citados nesse post são uma ótima opção para toda a família se divertir e saber um pouco mais da história do nosso país.

Passeie, viaje, e Click!


1 Comentário

  1. 28 de julho de 2017

    […] próximo à Praça XV. Horários: De Quinta a Domingo, às 12:30, 14hs e 15:30 Entrada: R$ 30,00. Clique aqui e leia o post "O que fazer no Rio de Janeiro: Um passeio pela Ilha […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Kelly & Wallace

Somos um casal apaixonado por viagens, gastronomia e fotografia. Somos "aprendizes" de mochileiros e juntos estamos aprendendo a desbravar o mundo.

Você vai adorar também...